terça-feira, janeiro 22

LITERATURA


O BREVIÁRIOS DOS IDIOTAS
Alexandre Leite do Nascimento
O “Dicionário das Idéias Feitas”, de Bouvard e Pécuchet, é um dos sucessos de Flaubert.
Só se conhece a primeira parte do inacabado Bouvard e Pécuchet. Os dois personagens do título são escrivães e amigos inseparáveis. Um dia, após um deles receber uma herança, decidem se mudar para o campo e estudar todos os assuntos humanos. Ao fim, desiludidos com o que aprenderam, resolvem voltar à antiga profissão e copiar tudo o que estudaram. Da segunda parte só restam fragmentos, que passaram a ser conhecidos como o Dicionário das Idéias Feitas, um compêndio de lugares-comuns cheios de ironia e humor, que acabaram se incorporando à cultura ocidental. Leia abaixo alguns deles.
A : Antiguidades : são sempre de fabricação moderna.
D : Diploma : sinal de ciência. Não prova nada.
E : Ereção : só se diz para se referir aos monumentos.
F : Francês : o primeiro povo do universo.
G : Gordo : as pessoas gordas não precisam aprender a nadar e são o desespero dos carrascos, porque são difíceis de executar.
I : Imbecis : aqueles que não pensam como você.
L : Literatura : ocupação dos ociosos.
M : Matemática : seca o coração.
N : Nervoso : diz-se de todas as vezes em que não se compreende uma doença ; esta explicação satisfaz a quem ouve.
O : Otimista : equivalente a imbecil.
P : Parente : são sempre desagradáveis.
Q : Quadratura do círculo : não se sabe o que é, mas deve-se dar de ombros quando se falar dela.
R : Roupas íntimas : jamais são mostradas o suficiente.
S : Sábios : Caçoar deles. Para ser sábio, só é preciso memória e trabalho.
Fonte : Revista Bravo, edição de janeiro de 2008.

Nenhum comentário: