quinta-feira, junho 19

DECORANDO AS PAREDES








Em casa, pinturas especiais causam diferentes sensações: admiração, entusiasmo, reflexão... difícil é passar por paredes tão notáveis sem se prender ao capricho do traço, às cores vivas e ao estilo de cada criação. opções não faltam. A seguir, conheça alguns artistas, suas técnicas e seus trabalhos fabulosos!


Vivian de Campos

"Pinto a natureza". Basta esta frase para entender por inteiro o universo da gaúcha Vivian de Campos, nascida em Porto Alegre e pós-graduada em Artes em Nova york, que escolheu o estilo figurativo para suas paisagens, campos, animais, flores... Tudo na melhor concepção nacionalista, com muitas referências às belezas brasileiras e ao calor tropical. Por sinal, a artista reconhece a semelhança entre seu estilo e os primeiros registros das terras nacionais realizados durante a vinda da corte portuguesa por debret, Rugendas ou Albert Eckhout. Vivian admite que bebe da rica fonte para realizar suas criações em telas ou superfícies maiores. Embora tenha adotado um perfil específico, seu trabalho não se limita a repetições - a diversidade surge dos inúmeros motivos possíveis ou de nuances e tons escolhidos a dedo para cada um dos clientes. Para criar algo bem brasileiro, Vivian utiliza tinta esmalte misturada a pigmentos importados. O efeito envelhecido, semelhante ao das pinturas de sua referência, é garantido pelo betume. Misturado à cera, este material tradicional das técnicas de envelhecimento é esfregado com estopa na parede. O metro quadrado de seu trabalho varia de R$ 300 a R$ 500. Para ambientes menores, o preço sobe para R$ 1.000 o m², em média.



Isabelle Tuchband e Verena Matzen

Foi observando o trabalho do pai, o artista plástico Emile Tuchband, que Isabelle decidiu o que queria da vida: ser artista também. E lá se foi a jovem para a Fundação Santa Marcelina, famosa escola paulistana. Mais tarde, conheceu, em Paris, Verena Matzen, outra jovem estudante de artes. A identificação imediata rendeu uma parceria que dura mais de 20 anos. Juntas ou individualmente, a dupla já expôs em várias partes do mundo. Se, por um lado, Isa prefere pintar imagens vívidas e com nítidas silhuetas de corpos femininos, sua parceira, Verena, contrapõe com certa "queda" pelo abstrato, com difusas imagens florais. O ponto em comum é que ambas acreditam que o processo de criação artística nasce da inspiração. Prova disso é o mural feito em um restaurante, em são Paulo, que teve como ponto de partida o corpo feminino. "Modelos são um apoio estético para a pintura", revelam. A partir da silhueta, a pintura com motivo hedonista demonstra uma forte caracterísitca da dupla: a profusão de cores.



Norma Grimberg

Para a artista, a escultura cria relevos que se desdobram na superfície, projetando-se em direção a quem admira, ou então criando sombras, volumes e outras possibilidades de percepção. Suas obras são cheias de significado, e entre os assuntos relacionados às criações estão o etéreo, o espiritual, o impalpável, a transcendência. A instalação Enredadas, fixada nesta parede, é composta por módulos de cerâmica vitrificada que "possuem semelhança com bolhas de sabão ou coisas que se desfazem", comenta. O objetivo é produzir uma reflexão poética por meio dessa simbologia, mas, quase sempre, as esculturas vão além desse efeito: geram impacto, admiração e até repulsa. "As reações são 'abertas', mas jamais passivas", garante. Para materializar as idéias, ela utiliza técnicas como a modelagem da cerâmica e a fundição (feita a partir de molde preenchido com barro líquido).
fonte:http://www.casaeambiente.com.br

Nenhum comentário: