domingo, agosto 31

LOVE WILL TEAR US APART























Imagino que praticamente todos vocês conheçam e já ouviram “Love will tear us apart” do Joy Division e provavelmente consideram essa canção um clássico (ou “crássico” se preferirem) dos nossos tempos...eu particularmente concordo com vocês. Acontece que essa canção sempre me tocou muito e de certa forma seus versos estão sempre presentes (adormecidos às vezes), em muitas das minhas lembranças e talvez por esse mesmo motivo, sempre prestes a “tocar” dentro de mim.


No finalzinho dos anos 80 eu era adolescente e claro que eu preferia Joy Division a New Order. Obviamente isso acontecia porque não haviam outras opções pra mim, a não ser minha própria tristeza. Ai, como era difícil... E lá estavam os versos de “Love will tear us apart” numa espécie de caderninho de anotações que eu carregava pra todos os lados. O que me faltava (e até hoje me falta), era a experiência com esse sentimento que motiva canções e sensibiliza as pobres almas atormentadas como a minha: o amor. Sentimento tão humano e ao mesmo tempo tão divino. E foi assim que comecei a me preparar pro pior. Descobri cedo que amar dói, só não poderia imaginar o quanto, mas não dava pra cantar a canção do Joy Division inocentemente, sem imaginar o que ainda estava por vir.




A história dessa canção é bem conhecida: o casamento de Ian Curtis estava agonizando (eles já haviam decidido se separar mesmo), quando ele resolveu colocar um ponto final em sua epiléptica história (Setembro de 1979). O Joy Division iria excursionar nos Estados Unidas e a carreira da banda prometia trazer muito sucesso e glamour para todos, mas isso parecia não aliviar em nada as dores de Ian e assim “Love will tear us apart” foi escrita como um bilhete de despedida à sua quase-futura-ex-esposa-e-súbita-viúva, Deborah. Ian se suicidou e o resto todo mundo já sabe. Esse “bilhetinho” se tornou a canção do Joy Division que mais fez sucesso.




Já ouvi diferentes versões para essa música e acredito que isso ocorra não pelo fato dela ter sido um sucesso comercial tão grande, mas sim por conta de seus versos que expressam muito bem aquele mal estar que envolve toda situação amorosa em estado de calamidade. Ilustrando: “Why is the bedroom so cold? You’ve turned away on your side” (Por que nosso quarto está tão frio? E você deitada ao meu lado, virada pra parede), ou melhor ainda: “Just what something so good just can’t function no more, when love, love will tear us apart, again” (por que algo tão bom simplesmente não funciona mais, quando o amor, o amor vai nos dilacerar, novamente).




Eu penso que quem não se emociona ou no mínimo ouça com um pouquinho mais de atenção, “Love will tear us apart”, talvez ainda não experimentou o inferno e o céu que é amar alguém. Eita situaçãozinha braba! “When routine bites hard and ambitions are low and resentment rides high, but emotions won’t grow. And we’re changing our ways, taking different roads, then love, love will tear us apart again” (Quando a rotina nos engole e ambições já não existem mais, enquanto ressentimentos aumentam mas emoções não crescem. Estamos mudando nossos caminhos, tomando estradas diferente, então o amor, o amor vai nos dilacerar novamente).




O pior é que sempre desconfiei que Ian Curtis estivesse certo. De uma forma ou de outra, para o bem ou para o mal, o amor sempre nos dilacera. Mas se isso significa estar viva, que venha a dor, o sangue e a felicidade então.




Texto retirado do site:http://www.darksp.com.br/andlovwill.html

33 comentários:

Lauren disse...

As músicas do Joy Division são muito deprimentes. Não sei o motivo, mas gosto de ouví-las quando estou para baixo. Esta música é linda, não costumo ouvir com frequência, mas curto muito! Concordo de que quem não se sensibiliza com esta música nunca teve uma bela dor de cotovelo! Ha! Pena que Ian morreu com 23 anos. Tinha problemas sérios de depressão. Que bom saber do seu gosto musical roqueiro, hahaha! Dá uma passadinha no meu blog, vc deu uma sumida!! Pelo visto somos pessoas que não dormem cedo! bjokass

Denise do Egito disse...

Quando o amor dilacera, maltrata, faz infeliz, já não é mais amor. É obsessão.
Um ótimo domingo para vocês!

Oliver Pickwick disse...

Sou membro honorário do Clube dos Corações Otimistas, portanto, contrário todas as formas de lamúria. No entanto, reconheço certo talento no Joy Division.
Por outro lado, ficarei fã e freguês deste museu, ops, digo, blog, da modernidade.
Obrigado pela visita, além das palavras gentis deixadas lá no condado.
Um abraço!

Oliver Pickwick disse...

errata:

contrário à todas as formas de lamúria.
;)

Kira Fashion disse...

Joy Division é genial!

Beijos e abraços e bom domingo!!!

jfs1982 disse...

Entáo vocë entendeu exatamente o q eu escrevi no meu blog, n[e!

boa semana

Marcelo Martins disse...

Não estou ligando o nome à pessoa em relação a essa música. Possivelmente eu a conheça sim, mas não pelo título.
Pelo que noto, essa é a música da sua vida, não?
A minha é "Don't give up" Peter Gabriel.
Sim, o amor sempre nos dilacera de uma forma ou de outra.
Trata-se de um sentimento arrebatador e assustador.
Algo como o rompimento de uma represa que vai levando vilas e cidades nas suas águas furiosas e descontroladas.
Mas o que seria de nós sem o amor, sem o amar?
Somos reféns desse sentimento, tudo o que podemos fazer é nos entregar e torcer para que não nos machuquemos tanto, embora saibamos que esse pedido é um pouco demais mesmo para toda a bondade do universo.

Beijocas, meninas

mariana coelho disse...

adoro essa musica!
a minha regravação preferida é a que o Nouvelle Vague fez, já ouviu?super melancólica..mt boa!
bjbj

"Divagando e Lorotas" disse...

Luxo!
O amor sempre dilacera...

Carolina disse...

Sou "antiga adolescente" anos 80 e curti muito Joy Division, e entre o céu e o inferno no amor, prefiro ficar no quentinho do inferno me divertindo com os diabinhos que nos fazem entender que a vida é isso, com amor ou com dor. E segue o baile!Viva a vida e suas estradas por vezes tortuosas e gostosas!
bjos e boa semana!

Francielle da Maia disse...

é linda porém um tanto melancólica!

Adorei o post e essas imagens =))

Beeeeeeijos.

Francielle da Maia disse...

tem presente pra vc no meu blog heein.. beeijos.

Laura Gelbecke disse...

essa música é tuuuuudo de bão!

bjos

Varda disse...

Eu nunca ouvi
=x
vou procurar
o/

Garotas de Vinte e Poucos disse...

a-d-o-r-o a criatividade sem tamanho de vcs. Cada post uma surpresa melhor que a outra. Love will tear us apart??? For suuuuuuure!

Bjo
*Lala*

Diego Martins disse...

Gostam de SambaRock é? Eu amo dançar SambaRock, tem ritmo mais dançante que essE? =)

gostei muuuito daqui! Obrigado pela visita viu? ^^

beijãO!

Jamille Lobato disse...

Retribuindo a visita.
Não ouvi o cantor, mas se cabe a dica, vou ouvir e voltarei aqui para comentar!

Silvinha disse...

Belo post, acho que foi o que mais gostei neste blog até agora!

Beijos e boa semana p/ vc!

Mariana Valente disse...

Concordo com a Fran, é meio melancólica mas não deixa de ser lindaaaaaa!!!

bjoks e boa semana
:)

POPI by Paula disse...

Sabe q não conheço...talvez porque curtisse New Order,
Quem sabe?
Bjus
Paula

canseidexuxu disse...

Lindo texto!

Essa música diz tudo e mais um pouco. Tudo que queremos evitar a qualquer custo... Dor de amor é uma dor absurda e desesperadora... É o nosso medo e nosso destino, uma hora ou outra na vida! Então, deixar de ter medo e curtir tudo que há pra curtir enquanto houver o bom do amor!

Adorei o texto!
Beijos
Xu

alvarêz dewïzqe disse...

esse som do Joy é realmente de primeira. e essa coleção de "LOVE WILL TER US APART" ficou da hora. muito bom!

Claudia Goulart disse...

Nada a declarar.
Vocês já falaram tudo.
bjos

mOnI disse...

eu conhecia a música, mas não sabia da história, mto bacana mesmo! beijos

viva ou exista disse...

massaaa o blog de vcss... ou de vc??
quantos rostinhos bonitos escrevem para o blog??huahaua
muito show mesmo
ainda tem muita coisa pra ler

parabéns pra vcs...

...o amor é uma palavra técnica que arrumaram para os bons relacionamentos...

mais adiante eu defendo um pouco melhor essa minha tese uahauhaua

ah e sobre o Emocor??
não virei, já desisti.
tinha que fazer xapinha....

obrigado pela visita, foi uma honra enorme....
como acharam-me...

esses blogueiros não tem o q fazer...


um mega bj p vcs, sucesso,quer dizer, mais sucesso...
pq pelo q vi vcs já tem.

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Não conheço essa música, ou pelo menos não me lembro, mas pelo que estão falando de ser meio melancólica hummmm, estou fugindo de músicas assim rsrsrsr. Estou há muito tempo numa fase boa do amor, melhor deixar quieto pra não atrair, sou muito sugestionável.
Bjobjo linda ;)

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Ah! bonitinha, estou vindo menos aqui por problemas técnicos rsrsrs, meu "maravilhoso" Pc está uó, não carrega sua página ou então trava, mas hoje consegui.
Bjobjo ;)

Fernanda disse...

Querida, foi dado com muito carinho... o selinho :))

No passado eu tinha um namorado que idolatrava o Ian Curtis... tudo o que aconteceu na vida dele, ele sabia... e ouvia as suas músicas e se cortava... me lembro que uns tempos eu andei fazendo o mesmo... mas, o meu ídolo era o brian molko.

E hoje, penso completamente diferente... devo estar careta...

Beijos, *^
Fer...

Karine disse...

Profundo!

^^
Amei as imagens...É verdade mesmo que as vezes elas falam mais que mil palavras!

;)

Bjinhusssssssssssssss
ATUALIZEI!

Dona Sra. Urtigão disse...

Um blog bonito, e lendo, fiquei a lembrar-me das identificações com o que voces escrevem e um tempo passado da minha vida. Um ícone para qualque época, portanto, o seu blog. Parabens.

Anônimo disse...

Vc lembra naquela tape que eu fiz com as minhas fave songs, estava, claaaaaaaro a Love will tear us apart again...
Essas músicas não são exatamente da minha época...lembro que um vizinho meu (mais velho, eu tinha uns 10 anos)ouvia muito e um dia fui perguntar quem cantava...pq eu adorava o som...e daí que conhecí Joy division, The cure, The Smiths, New order...e desde então nunca mais deixei de ouvir...
Para mim, as melhores músicas já feitas!
beijos
Isa - ridículas

Macarena disse...

"Love will tear us apart" não é simplesmente uma música, é uma POESIA que descreve como poucas o sentimento de impotência que nos trazem os amores frustrados... Muito embora eu goste de toda e qualquer versão (acho sinceramente que ela ficaria boa até cantada pelo Bozo, contemporâneo), nada se compara à interpretação do Ian Curtis: eu chego a sentir a "dor que ele deveras sente"!!! [Se bem que, no caso, esse poeta não era um fingidor, como aquele outro, mas isso é outra estória...]
Essa música é tão especial, que, sempre que ela toca, eu atinjo 3 fases: (1) a do piti-histérico (aaaaahhhhh, eu a-DO-ro essa música!!!), (2) a da parada estratégica, para ouvi-la, sem interrupções, e (3) a do êxtase (aaaaahhhhh, tudo-de-bom!!!)...
Descrevendo esta música em uma palavra: sublime!!!
Como alguém pode ser tão profundo com apenas 23 anos???
Com licença, que vou ouvir a minha "Love will tear us apart", devidamente gravada no meu celular!!!
Tks pelo post!!!

Bjks.

Alexsandro Ramos Santos disse...

Como o companheiro falou: Essa musica é sublime!