terça-feira, maio 12

A DIETA DA BIBLIA? ISSO EXISTE MESMO?



Conheça a polêmica dieta que é baseada na alimentação do Antigo Testamento


Alessandra Siedschlag e Ana Paula Xavier


Já ouviu falar da Dieta da Bíblia? Se não ouviu, vai ouvir. Quem teve a ideia de um regime baseado no livro mais famoso (e mais vendido) de todo o mundo foi o Dr. Edson Ramuth, diretor do Emagrecentro. Judeu, ele criou a dieta em 1997, "inspirado nas leituras da Torá, o Antigo Testamento". Na Dieta da Bíblia, como o próprio nome diz, só se pode comer alimentos permitidos pela Bíblia - e, segundo o médico, por não mais de 11 dias, e sempre com um acompanhamento nutricional. Neste período você emagrecerá aproximadamente 4kg. O Dr. Edson afirma que as horas de jejum propostas na dieta, assim como no Judaísmo, funcionam como um dia de purificação orgânica e espiritual.Palavra de nutricionistaConversamos com a nutricionista da Body Check da Triathon Academia, Bruna Petrungaro, para saber sua opinião sobre a Dieta da Bíblia. "Esta dieta recomenda uma alimentação com aves, carne vermelha, frutas, leite, vegetais e grãos. No primeiro momento, pode ser considerada uma alimentação saudável e também uma forma de garantir um rápido emagrecimento, mas é preciso tomar cuidado com essa promessa, pois ela promove uma perda de peso sem qualidades, em sua maioria de massa muscular e com sacrifícios, o que pode levar à recuperação do peso perdido rapidamente", diz Bruna. Segundo ela, a dieta também não segue dois princípios básicos da Nutrição: variedade e quantidade. "É preciso ter bom senso, pois a pessoa que quer emagrecer não pode abrir mão do fato de que todos os alimentos existem para serem consumidos e saboreados prazerosamente. O segredo é realizar as refeições nas horas certas e recombinar os alimentos de uma maneira mais saudável", aconselha a nutricionista.Palavra de médicoO Dr. Fabio Cesar dos Santos, cardiologista com prática ortomolecular e consultor científico da Associação Médica Brasileira de Oxidologia, diz que é fácil de entender que a dieta conte com menos calorias, já que no tempo do Antigo Testamento não existia o apelo industrial, fast-food etc."Grande parte das dietas, para obter resultados mais rápidos, usa um mecanismo hipocalórico e baixo em carboidratos simples. É o que acontece com essa dieta, que se utiliza de todos os macronutrientes (carboidratos, gorduras e proteínas), porém com uma restrição calórica", explica o Dr. Fábio.Ele complementa, dizendo que em seu dia-a-dia ele trabalha com uma dieta que escreveu para seus pacientes, que tem o objetivo de reduzir carboidratos simples e calorias, porém "com outra intenção: reduzir a inflamação orgânica que dietas do mundo moderno trazem aos pacientes. Acho que temos de ser racionais sem sermos radicais", opina o médico.