segunda-feira, julho 6

COMO PUDEMOS VIVER SEM ESSAS COISAS?






















































































































































































































































































































































































































































































































Preparamos mais um post da tão aguardada coluna "Como pudemos viver sem essas coisas" e listamos ítens super cool e diferentes que encontrtamos pela Net, especialmente no Like Cool.


Se você quiser conhecer outros posts que mostram mais coisas legais que nós do "Rostinhos Bonitos" não conseguimos viver sem...clique aqui e divirta-se!























3 comentários:

Hans Bintje disse...

Querida Tania:

Eu gostaria de viver um momento erótico com você no sarau de quarta do Luis Nassif - http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/

Você deve estar pensando, "que proposta indecente é essa?" Fique tranquila, Sigmund Freud (sempre ele!) explica:

"Posso agora acrescentar que a civilização constitui um processo a serviço de Eros, cujo propósito é combinar indivíduos humanos isolados, depois famílias e, depois ainda, raças, povos e nações numa única grande unidade, a unidade da humanidade. Porque isso tem de acontecer, não sabemos; o trabalho de Eros é precisamente este. Essas reuniões de homens devem estar libidinalmente ligadas umas às outras. A necessidade, as vantagens do trabalho em comum, por si sós, não as manterão unidas. Mas a natural pulsão agressiva do homem, a hostilidade de cada um contra todos e de todos contra cada um, se opõe a esse programa da civilização. Essa pulsão agressiva é o derivado e o principal representante da pulsão de morte, que descobrimos lado a lado de Eros e que com este divide o domínio do mundo. Agora, penso eu, o significado da evolução da civilização não mais nos é obscuro. Ele deve representar a luta entre Eros e a Morte, entre a pulsão de vida e a pulsão de destruição, tal como se elabora na espécie humana. Nessa luta consiste essencialmente toda a vida, e, portanto, a evolução da civilização pode ser simplesmente descrita como a luta da espécia humana pela vida."

Fonte: Das Unbehagen in der Kultur (em português, "O Mal-Estar na Civilização")

Bruna disse...

hehe..

muuuuuito legal!
;)

Alessandro disse...

amey!!!!!!!! menos os muitos bizarros