quinta-feira, agosto 6

Quais são os dois carros mais rápidos do mundo?


Thrust SSC




Spirit of America





Os mais poderosos nem podem ser chamados de carros: são praticamente aviões adaptados para andar no chão.








É o caso do campeão Thrust SSC, um bólido inglês que já chegou a 1.227 km/h, superando em 3 km/h a velocidade do som.












Na verdade, o Thrust SSC é uma aeronave sem asas, composto de um cockpit encaixado entre duas turbinas de caça. Sua impressionante potência é de 100 mil cavalos, o equivalente à potência de 111 carros de Fórmula 1 da Williams ou, para comparar com algo mais pé-no-chão, 1.818 Fiat Palio.








Se o carro a jato tivesse autonomia para uma viagem longa, percorreria os 429 quilômetros entre São Paulo e Rio de Janeiro em pouco mais de 20 minutos.Mas ele precisaria de uma estrada especial: para que atingisse seu recorde de velocidade, há seis anos, o trambolho teve de ser levado até um lugar com 120 quilômetros de chão impecavelmente plano, o deserto de Black Rock, nos Estados Unidos.












Foi lá também que outro carro a jato garantiu seu lugar na primeira fila dos mais velozes: o Spirit of America, que em uma tentativa frustrada de quebrar a barreira do som cravou 1 086 km/h. Apesar dessa rapidez estonteante, esses caças sobre rodas levariam uma surra de qualquer Fórmula 1.












Afinal, os carros da modalidade são insuperáveis nas curvas: os pilotos podem virar bruscamente o volante a mais de 200 km/h sem perder estabilidade.
Como os circuitos da F-1 são travados, a velocidade final não é tão importante na categoria.
















Tanto que um dos recordes mais duradouros foi justamente a melhor média de velocidade em uma prova: 242 km/h, marca cravada em 1971 pelo britânico Peter Gethin, em Monza, quando a pista italiana era praticamente um oval.
















Mesmo dirigindo um carro BRM que hoje nem se classificaria para uma corrida de verdade, sua marca só foi batida neste ano pelo devorador de recordes Michael Schumacher, que chegou a 247 km/h de média na mesma pista.
















Seu carro era duas vezes mais potente e infinitamente mais equilibrado que o de Gethin, mas o hexacampeão teve de penar para melhorar o índice porque a versão atual de Monza tem muito mais curvas no traçado.

Um comentário: